Design, Artes e Ofícios


Hoje, fui ao Museu de Artes e Ofícios em função da minha pesquisa de Iniciação Científica  sobre valorização de produtos  mineiros relacionados aos alimentos, ótima experiência.

O estado do Museu e dos artefatos do acervo é impressionante. O zelo é notável. O que me chamou muito a atenção foi a maneira como os objetos e informações são organizados. Usando de  multimídia, iluminação e de outros recursos a equipe responsável pela montagem do Museu conseguiu deixá-lo fascinante.

Abaixo, reprodução de um forno a lenha e alguns artefatos expostos.

DSC00065

Nesse mesmo ambiente, achei interessante a estrutura desses garfos do século IXX.

DSC00066

Outra coisa interessante, são as formas de bolo e pudim de metal e cerâmica das mais diversas formas. Em qualquer catálogo ou loja de produtos para cozinha, seja elitista ou popular, podem ser encontrados objetos que trazem em si referências formais dessas formas e de outros artefatos antigos.

Assisti também a vídeos explicativos sobre a mandioca e sobre os queijos mineiros.

A mandioca tem origem brasileira. Era usada pelos nativos, foi muito bem aceita entre os colonos e, hoje, está na rotina do brasileiro e é matéria-prima de diversos produtos industriais, de biscoitos a embalagens feitas a partir do da fécula.

Eu já tinha noção da importância dos queijos mineiros, mas as informações do Museu me esclareceram bastante. O Brasil é o terceiro maior produtor de queijo do mundo e Minas Gerais é o Estado que mas produz esta iguaria no país.

O queijo já era produzido pelos egípcios, foi trazido para o Brasil pelos portugueses e, hoje, é produto característico de algumas regiões de Minas como Araxá, Alto Paranaíba, Serro e Canastra. As regiões têm especificidades, como tipos de solo, vegetação e clima, que fazem os queijos serem comparados aos mais finos queijos franceses ou italianos. Iniciativas como tornar alguns tipos de queijo mineiro patrimônio imaterial brasileiro, são importantes, mas ainda falta muito para esses produtos terem a importância que merecem na sociedade, na cultura e no mercado.

E onde entra o design nisso?

Casos como o  Eataly, mercado gastronômico que serve de vitrine para produtos alimentícios da Itália, e outras iniciativas  italianas são prova de que é possível trabalhar de maneira competente a identidade de uma região visando valorizá-la. O design participa do desenvolvimento de produtos, alimentos, peças gráficas,  serviços e estratégias. Está presente e tem muita responsabilidade em uma iniciativa de valorização de produtos e territórios.

Anúncios

Sobre ravibellardi

English EcoDesign Master student in PoliTo - Politecnico di Torino - Turin, Italy. In a double-degree agreement between PoliTo and the University of Minas Gerais, Brazil. In Brazil, took part in projects like "Design e integração competitiva do território - Estrada Real". This project is a government initiative in order to use the Design approach in order to bring value regarding specific aspects of the State of Minas Gerais in Brazil. The territory context is the Estrada Real. Also worked in the University of Minas Gerais' Research Center of Theory, Culture and Design in projects related to the use of Design in cultural aspects of the State of Minas Gerais aiming to enhance products related to the Food Sector. Portugês Graduando no curso Master em EcoDesign pelo Politécnico de Turim, Itália (Polito). Bolsista dentro do acordo de dupla titulação entre a Universidade do Estado de Minas Gerais e o Politecnico di Torino com apoio da FAPEMIG. Atuou como bolsista do Projeto "Design e integração competitiva do território - Estrada Real", projeto do Centro Minas Design em parceria com o Polito. Ravi Bellardi também é atuante no desenvolvimento do projeto Estudo de Aspectos Culturais de Minas Gerais Visando à Valorização de Produtos Relacionados ao Setor Alimentício Através do Design com financiamento da FAPEMIG e apoio da UEMG. Ravi Bellardi desenvolve trabalhos tanto de caráter acadêmico, quanto de caráter de extensão com a orientação da Profa. Dra. Lia Krucken juntamente ao Centro de Teoria, Pesquisa & Cultura em Design da Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais.
Esta entrada foi publicada em Multi, Regional, sustentabilidade, Utensílio com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Design, Artes e Ofícios

  1. Pingback: Bairrismo?! Acho que não… « Ravi’s Food Design Blog

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s